quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

mais uma...



Essa aí foi putaria, baixaria, pegaram pesado comigo nos céus. Ela me inventa de aparecer numa televisão de um barzinho que eu não frequento NUNCA, num dia não propício. Eu só queria comprar cigarro, entrar no meu carro e ir pra casa. Não quero pensar em nada, tava indo bem, levando o dia na tranquilidade, fazendo meu trabalho, aguentando aula de cinema e literatura, não queria de jeito nenhum ter que ouvir essa música, muito menos no meio da rua, com cara de abatida depois de ver "Persona".
Deus me livre... e bem, a pessoa que me provoca isso com essa música não devia levar isso tão a sério, uma vez que até o Neutrox e o cabelo sedoso da minha tia me provocam essas coisas também.
Não nesses grau, mas entenda, não é muita coisa. I Can use somebody...

2 comentários:

Alexandre A. Bastos disse...

Seu texto dá uma sensação de cotidiano, de que só de ler já pertenço ao seu dia-a-dia. E quando termina já se espera o próximo como quem espera um evento maior no dia seguinte. Achei que tinha de dizer isso. hehe
*:

Alexandre A. Bastos disse...

Uma música que tem me dado prazer auditivo e dá uma sensação mó boa dessa nostalgia, do falso pertencimento a um passado que não é seu é "Chemtrails" do Beck, do novo cedê chamado Modern Guilt. Já ouviu?
Se não, ouça e veja se concorda comigo, Marizinha.